14 de fevereiro de 2017

O RESULTADO DO QUE FAZEMOS NOS ESPERA MAIS ADIANTE por Jeff Severino


 

 

Será que ainda viveremos mais vinte anos? Viveremos a nossa vida ou a vida dos outros?

Nós já estamos carecas de saber que são nossas escolhas que mostram o que realmente somos, muito mais do que nossas habilidades. E são inúmeros os casos disso. Nós vivemos tomando decisões erradas. Pensamos nos outros e esquecemos de nós mesmos. De fato nós nos preocupamos com os outros, simples assim !

Nosso orgulho e até hipocrisia nos tem desviado do nosso caminho. Insistimos em manter aparências. Pra quem? Pra que? Por que ?

Temos pensamentos negativos quase sempre. Falamos bonito, postamos coisas bonitas, agimos de forma bonita exteriormente, tecemos grandes e falsos elogios nas redes sociais, todavia, agimos totalmente diferente dentro de nós. Usamos uma máscara imensa, tenebrosa e acreditamos que está tudo bem.

E por aí vai…

E continuamos fazendo essas escolhas fúteis e arruinamos os dias mais promissores de nossas vidas porque um dia a casa cai, ou melhor, a máscara cai.

Já não está mais do que na hora de acordar? Quantas vezes você já pensou “isso não está funcionando” ou “isso não está certo” ou “as coisas têm que mudar”. Quem tem que mudar: você ou as coisas?

Na real costumamos criar uma crise imensa quando acordamos. Parabéns aos que conseguem enfrentar a crise e acordar. Entram num beco sem saída, chegam literalmente ao fundo do poço. Tudo bem, direito de cada um ir até o fundo do poço, desde que não queira me levar junto, pois tem gente que cai, fica gritando lá do fundo por ajuda, mas não faz o mínimo esforço pra se segurar forte na corda que jogamos a ele e, pior ainda, quando sai de lá volta a agir da mesma maneira, se fazendo de vítima. Isso não cola por muito tempo. As pessoas desistem da gente e com razão.

Aí não tem quem aguente. Ter tolerância neste caso não significa ficar vivendo com uma pessoa assim.

Temos uma voz interior nos chamando a atenção sempre. Todavia escutar essa voz é um tremendo desafio porque nós não temos ou não queremos ouvi-la e aí seguimos nossa caminhada ladeira abaixo.

Observo nos noticiários essas caminhadas pela paz e me espanto pois 90% das pessoas que estavam saqueando eram “gente de bem”. Saqueavam carvão, carnes, bebidas, detonavam as lojas e pegavam roupas, celulares… Vi isso em enchente em Itajaí, onde um supermercado foi saqueado. Saquearam cervejas, carnes,… ficou claríssimo na televisão e nos whats que recebi. E depois saem em caminhada pela paz? Em que parte do mundo isso resolveu ou resolverá se nós continuamos com as mesmas atitudes? Não é a oportunidade que faz o ladrão. É o ladrão que faz a oportunidade.

Estamos seguindo a vida com o nosso piloto automático ligado, tipo “maria vai com as outras”. Se ele pode eu também posso, se ele faz eu também faço. Portanto, se ele se atirar no fundo do poço você também vai se atirar?

Se você se tornou alguém que não se reconhece mais e vive apenas para agradar os outros ou para perseguir alguma versão de sucesso de alguma outra pessoa, então você perdeu o rumo faz tempo. Mas ainda está em tempo de você acordar e pensar nas tuas próprias necessidades. Ver o que importa e o que não interessa mais. E você perceberá claramente que ninguém está nem aí. Provavelmente ninguém vai perceber tua mudança porque elas também estão perdidas centradas no que querem ser e não no que são.

Acordemos então porque sem dúvidas, a maior parte da nossa vida é o resultado das escolhas que fizemos e estamos fazendo. Não venhamos com esse papo de papo de destino. Nós fizemos, fazemos e continuaremos fazendo o que bem entendermos da nossa vida. Cabe apenas despertar e entender que estamos tendo apenas o troco.

Sendo aquilo que todos querem que sejamos – será que conseguimos nos lembrar de quem nós éramos antes que o mundo nos dissesse quem deveríamos ser? Em quem acreditar, naquilo que deveríamos fazer?

Em vez de cairmos na real e perguntar-nos quem somos, somos treinados a pedir permissão aos outros. Pode? Estamos, de fato, educados para viver as versões de outras pessoas em nossas vidas. Nosso dia-a-dia é projetado e desenvolvido de acordo com o que os outros pensam ou irão deixar de pensar. E então, um dia, quando nos libertamos e analisarmos nossa vida e nossos próprios sonhos, se ainda os tivermos (tem gente que não tem mais – vi uma menina na Índia que não tinha 12 anos, cuidava do casebre e dos três irmãos pequenos. Comiam quando tinha. Ao ser perguntada qual era os seus sonhos ela simplesmente disse que não tinha nenhum).

Tenebroso quando não temos ou permitimos que matem nossos sonhos.

Para encerrar, olhemos para dentro de nós mesmos e simplesmente percebamos que a  maioria dos nossos sonhos não se realizaram porque acreditamos nos sonhos dos outros e não nos nossos.

Vejo gente assistindo novela ou pior, BBB e torcendo pelo sonho dos outros?

Torça pelos seus, lute pelos seus, seja você mesmo. Provavelmente você é a a sua melhor companhia e com certeza existe um grande projeto destinado a você desde que você abandone os projetos que os outros querem. Aposte em você que é mais garantido.

Quer fazer o outro feliz? Então seja você o primeiro a ser feliz !

 

Jeff Severino - Florianópolis/SC

Viagens & TurismoJornalista/fotógrafo, diplomado pela Universidade do Sul de Santa Catarina - Unisul - Campus Pedra Branca - Diretor de Comunicação da Associação Catarinense de Colunistas Sociais, Relações Públicas da ABIME - Associação Brasileira de Mídia Eletrônica, Diretor de Comunicação da ABRAJET-SC, Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo, editor de um portal e de um blog, além de membro da FEBRACOS - Federação Brasileira de Colunistas Sociais e FENAJ - Federação Nacional de Jornalistas. Sou colaborador/colunista de diversas revistas e jornais de circulação nacional, começando pela Revista Evidência Cosmopolita em Maceió à Revista OQ em Joinville - SC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *