5 de novembro de 2018

Especialista do Hapvida dá dicas de como prevenir doenças que podem ser causadas por queimadas

Olhos lacrimejando, garganta arranhando e até mesmo náuseas. São inúmeros os sintomas em pessoas que vivem em grandes centros urbanos, aonde a quantidade de fumaça vinda da poluição ou de queimadas em vegetação, tem se tornado cada vez mais frequente. No entanto, o que poucos sabem é que o contato com a fumaça requer uma série de cuidados para que não sejam desencadeadas doenças respiratórias.

De acordo com a médica da Hapvida, Eline Amancio, as doenças respiratórias são causas de morbimortalidade no Brasil e no mundo, sendo as crianças o maior grupo de risco, principalmente devido à imaturidade inerente ao crescimento, relacionada ao desenvolvimento dos pulmões e do próprio sistema imunológico. “Pessoas que já tenham algum tipo de doença respiratória podem ter o agravo da mesma. Em tempos de seca e queimadas, o ar fica muito poluído e isso agrava o sistema respiratório, principalmente os pacientes que já possuem algum tipo de doença como bronquite, asma, rinite e sinusite alérgica”, disse.

Embora o sistema imunológico defenda o corpo da maioria dos vírus, bactérias e fungos que podem causar doenças, as enfermidades respiratórias são muito prevalentes. Para aliviar os sintomas em crianças, adultos e idosos, a especialista explica que alguns cuidados são necessários. “Os cuidados básicos são, principalmente manter o corpo hidratado, consumindo bastante água. Outra opção é manter o ambiente umidificado, seja com um umidificador de ar ou até mesmo uma toalha molhada no ambiente”, finaliza.

Dados
Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), doenças respiratórias crônicas são doenças tanto das vias aéreas superiores como das inferiores. A maioria dessas doenças são preveníveis e incluem a asma, a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Nesse contexto, a rinite alérgica pode ser considerada a doença de maior prevalência entre as doenças respiratórias crônicas e problema global de saúde pública, acometendo cerca de 20 a 25% da população em geral. Embora com sintomas de menor gravidade, está entre as dez razões mais frequentes de atendimento primário à saúde.

Hapvida
Com 3,8 milhões de clientes, o Hapvida hoje se posiciona como uma das maiores operadoras de saúde do Brasil, inclusive preparada para o tratamento de doenças do sistema respiratório. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente, são 20 mil colaboradores diretos envolvidos na operação de 26 hospitais, 75 clínicas médicas, 19 prontos atendimentos, 84 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial distribuídos em 11 estados onde a operadora atua com rede própria.

Fonte: Beatriz Nunes – Assessoria de Imprensa

Gigi Accioly

HolofoteJornalista (MTB 1468AL), apresentadora de TV, programa Gente em Evidência, exibido pela TV Alagoas (SBT), colunista social do Jornal Primeira Edição (impresso), editora-chefe e colunista da Revista Evidência Cosmopolita (AL), Colunista da revista evidencia.com (EVDCIA), diretora de planejamento da Comunicação Hoje e da Tehron - Núcleo de Comunicação; publicitária, assessora de comunicação, cerimonialista e mestre de cerimônias. Colunista do extinto portal Ciro Batelli – Unique Style (SP e Las Vegas). Membro do Conselho Deliberativo da Febracos – Federação Brasileira de Colunistas Sociais; diretora de divulgação da Soamar/AL. - Sociedade Amigos da Marinha; Diretora Regional em Alagoas da MBA - Mídia Brasil Associados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *