23 de janeiro de 2017

​O JOGO DE FAZ DE CONTA por Jeff Severino

Jeff-Ciclista

Neste domingo na praia, lendo uma revista que encontrei atirada na rua, dessas que falam de celebridades, moda, o que devemos fazer, usar, comer, vestir, como emagrecer, todas essas sandices milagrosas. Fico pasmo com tantas asneiras. Quer emagrecer? Simples, feche a boca e faça exercício. Não existe milagres. 

 

Mas o meu enfoque não é esse, mas sim sobre os “ditadores de moda”, que dizem até qual a tatuagem que você deve usar. Pode? Claro que pode quando se tem um bando de tolos que acreditam nessas coisas. Agora, segundo os tais gênios, o que “está em alta” são tatuagens de santos. Isso mesmo, tatuar santos pelo corpo. Estão de fora pássaros, bichos, tribais, flores, … e eu fiquei pensando, será que tem gente que acredita nessas tolices? Será que tem gente que precisa de alguém para dizer o que se deve usar ou não? Que as mulheres devem usar esmalte desta cor e com aquelas florzinhas ridículas? Que agora o que está na moda é aquele chinelo horroroso rider, e o crocs???

 

Em seguida arma um guarda-sol em minha frente um sujeito com um “tremendo raider D&G”, branco, com um calção branco, comprido, pela metade da bunda e uma cueca vermelha acima do dito calção de banho. Segundo os entendidos aquilo era moda. PELOAMORDEDEUS !!! Se aquilo era bonito então eu não quero ver o feio. A moda para as mulheres é os mesmos tipos de chinelos horrorosos só que pior ainda, dourados e prateados. Minha nossa, chamem o pai porque a mãe ta doida. 

 

Nessas horas eu me lembro de Leonardo Da Vinci que certa vez disse: “A simplicidade é a sofisticação final”. Quer ser chique? Então seja educado, não jogue papel/lixo na areia/chão, não deixe as sujeiras da sua farofa na praia. Nada contra os farofeiros, mas sim a nojeira que eles fazem e deixam na praia. Quer ser sofisticado? Desligue o som com aquela música sertanojo obrigando a todos a ouvi-la? Quer ser chique? Curta o mar, o sol, a areia, os amigos e apague a porcaria do baseado porque eu não estou afim de ficar chapado com a tua maresia. 

 

Essa gente faz de suas vidas um verdadeiro calvário e tem a ilusão que que serão felizes seguindo uma “moda” que alguém ditou. Fazem o que os outros querem. Vivem a vida dos outros e esquecem de ser o que são. Adoram sair na foto ao lado de celebridades e pior, adoram fazer selfies com aquele biquinho, demonstrando como dizem os psiquiatras e psicoterapeutas, um gigantesco sentimento de inferioridade.  

 

É tempo de parar para uma verificação da realidade … é hora de ser mais gente e descomplicar a vida. Chega de ser uma Maria vai com as outras. 

 

Chega de insistir nesses erros. Chega de acreditar nas mídias sociais e nas curtidas em teus posts. Nesse meio virtual tudo é falso, começando pela fotos dos perfis. 

 

Chega de cometer tantos erros e se escravizar por tão pouco. Nós os HOMENS, não nos preocupamos com a tua celulite ou varizes. Nós os HOMENS, gostamos é de conteúdo, de conversa solta, do riso verdadeiro, de mulheres de atitudes. Vocês mulheres só são iludidas porque querem. O que esperar de um sujeito que chega na praia “dentro da moda”, que as nove da manhã já está com uma cerveja gelada na mão e um baseado na outra? Ahhh ele vai se apaixonar por você e ira mudar de vida? A é ???!!! Quando? Onde? Pare de usar isso ou as pessoas como trampolim para “conquistar” o seu lugar ao sol. O sucesso não estar na praia da moda, com a roupa da moda, com a tatuagem da moda…mas sim o quanto você aprendeu com o que a vida tem te ensinado. Você acredita em você ou naquilo que está escrito nas revistas de moda? 

 

Não basta fazer as coisas que dizem pra você fazer. Não adianta seguir modismos…  Pare e pergunte-se se o que você está fazendo vale a pena e se vale tanto esforço. Identifique de fato o que é mais importante para você. Elimine tanto quanto for possível as tolices sem perda de tempo.

 

Se você insistir fazendo e vivendo da maneira que está vivendo, não adianta reclamar, pois o resultado será sempre a mesma coisa. Quantas vezes você já pensou “isso não está funcionando” ou “algo não está certo” ou “as coisas têm de mudar”? – Esses pensamentos e palavras são o seu eu interior te chamando a atenção, clamando por mudança. 

 

Se você nunca se colocar em primeiro lugar, então está na hora de acordar. Se você está esperando agradar todo mundo, esqueça, não vai rolar. Você apenas irá se tornar numa caricatura, numa marionete, uma pessoa que não se reconhece para agradar os outros. 

 

Lembro-me agora de uma outra história. Um grupo de profissionais, todos vencedores em suas respectivas carreiras, reuniu-se para visitar seu antigo professor.

 

Logo a conversa parou nas queixas intermináveis sobre *stress* no trabalho, sobre “manter as aparências”, sobre sobreviver nesse mundo louco onde o importante é ter e não ser.  

 

O professor ofereceu café. Foi para a cozinha e voltou com um grande bule e uma variedade das melhores xícaras: de porcelana, plástico, vidro, cristal… 

 

Algumas simples e baratas, outras decoradas, outras caras, outras muito exóticas…

 

Ele disse:

 

– Pessoal, escolham suas xícaras e sirvam-se de um pouco de café fresco.

 

Quando todos o fizeram, o velho mestre limpou a garganta, calma e pacientemente conversou com o grupo:

 

– Como puderam notar, imediatamente as mais belas xícaras foram escolhidas, e as mais simples e baratas ficaram por último. Isso é natural, porque todo mundo prefere o melhor para si mesmo. Mas essa é a causa de muitos problemas relacionados com o que vocês chamam “stress”, “insatisfação”, “depressão”…

 

Ele continuou:

 

– Eu asseguro que nenhuma dessas xícaras acrescentou ou acrecentará qualidade ao café. Na verdade, o recipiente apenas disfarça ou mostra a bebida. 

 

O que vocês queriam era café, não as xícaras, mas instintivamente quiseram pegar as melhores.

 

Eles começaram a olhar para as xícaras, uns dos outros.

 

Agora pensem nisso:

 

Nossa vida é o café. Trabalho, dinheiro, status, popularidade, beleza, relacionamentos, entre outros, são apenas recipientes ou os embrulhos que dão forma e suporte à vida de cada um de nós.  

 

O tipo de xícara que temos não pode definir nem alterar a qualidade da vida que recebemos. 

 

Muitas vezes nos concentramos  apenas em escolher a melhor xícara, a melhor roupa, em estarmos na moda e esquecemos de apreciar o café! Esquecemos simplesmente de viver A NOSSA VIDA. 

 

As pessoas mais felizes não são as que têm o melhor, mas as que fazem o melhor com tudo o que têm!

 

Então lembremo-nos de viver simplesmente. Sejamos generosos, educados, solidários e atenciosos. Falemos com bondade e acima de tudo não julguemos o nosso semelhando, pois quando julgamos, julgamos sobre o nosso prisma, quando na realidade não temos moral de julgar quem quer que seja, lembrando daquela frase fenomenal: “Atire a primeira pedra aquele que estiver isento de erro”

 

O resto deixem nas mãos do Criador Eterno, porque a pessoa mais rica não é a que mais tem, mas a que menos precisa. Agora desfrutem o seu café, a sua praia, o seu show… e parem se seguir a moda que estão te ditando. Bote mais fé em você mesmo (a) e seja feliz com o que você tem e é. Se você mesmo (a) não se der o respeito, quem dará? A marca da tua roupa? 

Jeff Severino - Florianópolis/SC

Viagens & TurismoJornalista/fotógrafo, diplomado pela Universidade do Sul de Santa Catarina - Unisul - Campus Pedra Branca - Diretor de Comunicação da Associação Catarinense de Colunistas Sociais, Relações Públicas da ABIME - Associação Brasileira de Mídia Eletrônica, Diretor de Comunicação da ABRAJET-SC, Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo, editor de um portal e de um blog, além de membro da FEBRACOS - Federação Brasileira de Colunistas Sociais e FENAJ - Federação Nacional de Jornalistas. Sou colaborador/colunista de diversas revistas e jornais de circulação nacional, começando pela Revista Evidência Cosmopolita em Maceió à Revista OQ em Joinville - SC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *