5 de maio de 2016

Filhos da Esquerda

Filhos da Esquerda

Bom que o WhatsApp tenha sido bloqueado temporariamente pela Justiça nossa. Lembro que Sócrates percorria o mercado municipal em Atenas aos sábados, escrevendo sempre uma listinha, perguntado do significado, respondeu: listo sempre os produtos disponíveis que não necessito. Explico que ainda resisto ao uso do aplicativo, entendendo versatilidade e gratuidade que seduzem 100 milhões de brasileiros. Penso que tais inovações são necessárias, desde que não monopólio, onde desejo que a concorrência cresça, seja Messenger, Instagram, Telegram, etc. Imaginem caso tivéssemos somente uma Cia telefônica, sem concorrência estaríamos sujeitos ao arbítrio de preços e contingenciamento de inovações. Especialmente como no caso anterior da Apple nos EUA, em que não houve colaboração à Justiça, tal qual agora, em disponibilizar e decodificar conteúdo criminoso. Tenhamos em mente que Justiça é base da Democracia, onde sempre podemos recorrer todos! Pensem terroristas, pedófilos, traficantes e contrabandistas de armas comunicando-se fartamente e reservadamente, fora do alcance da Lei…

Existem várias formas de tirania, onde mais eficiente é a do condicionamento infantojuvenil, como na antiga Esparta crianças eram todas entregues ao Exército para crescerem moldadas em treinamento militar. Experiência sofisticou-se no nazismo com juventude hitlerista onde eram recrutadas pela doutrina única e tinham retirada sua capacidade de opção, pois que não tinham discernimento doutros mundos e sistemas. Esquerda brasileira em treze anos conseguiu aprimoramento do método abandonando nossa juventude num cruel sistema educacional banindo-se dedicação, mérito e conteúdo. Aprovação automática, acesso por quotas, e uma grade escolar desprovida da Educação Moral e Cívica, bem como OSPB. Restringindo também nossa Literatura e História à conveniência telúrica seletiva – por eles é claro – acrescida de raízes internacionais africanas exclusivamente. Atitudes como a recente ocupação ilegal dum centro administrativo educacional em São Paulo, mostram do que são capazes os soldadinhos da esquerda. Os mesmos que ostentam camisetas do Guevara por fetiche indutivo, desconhecendo sua biografia criminosa. Analfabetos funcionais, produzidos por docentes do tipo que defecou e urinou em praça pública na foto dum político como manifestação descontente. Pretendem doutrinariamente estender sua ignorância e falta de civilização àqueles que ainda resistem e querem realmente estudar, acompanhados da necessária livre formação e do conhecimento geral.

Democracia e Privacidade são pra gente do bem, assim como não pode haver estadista maior do que o povo a que serve. Como bem disse recentemente o Procurador do TCU Júlio Marcelo de Oliveira acabou-se jargão “O rei não erra”.  Aprendi em meus pretéritos tempos de Colégio que liberdade funciona com responsabilidade. Imagino que a gradação da linha tênue seja o respeito ao amanhã. Afinal, pior do que propriamente crimes são efetivamente obstruções à justiça! Subversão…

Jose Carlos Paiva Bruno

Artigo & CrônicasNatural de Resende, Rio de Janeiro, José Carlos traduz a quarta geração do imigrante italiano Domenico Bruno. Advogado, Especialista MBA em Direito da Tecnologia pela FGV-RJ e Docência Superior pela FOA-VR, atua como Analista Administrativo na QUALIDADE DO PRODUTO em MAN LATIN AMERICA via RACING AUTOMOTIVE. Escreve profissionalmente desde janeiro/2010, desenvolvendo crônicas e poemas por um mundo melhor, uma sociedade mais justa focada na liberdade e respeito ao amanhã. Paiva Bruno, já conta com algumas dezenas de publicações em jornais e revistas no Brasil e exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *