23 / 05 / 17

O TEMPO, SEMPRE O SENHOR DO DESTINO por Jeff Severino

Quanto mais velhos, ou melhor, quanto mais vividos, mais tolerantes, mais pacientes, mais calmos a vida nos torna. Pelo menos deveria ser assim. Deveríamos pelo menos rir dos nossos próprios erros e evoluirmos através deles. A vida bem vivida de fato nos ensina quando nos humilha, nos derruba, nos levanta e, a medida que vamos caindo e levantando, percebemos o quão é absurdo o tempo que perdemos ou estamos perdendo em coisas, situações, empregos, amores, … que não valem a pena. 

Simplesmente deixamos de viver. Mas cá entre nós, quem é o maior criador de absurdo de todos eles. Quem é o nosso principal inimigo ou melhor conselheiro? A nossa própria mente. É ela que nos impulsiona, quando permitimos e, é ela que nos enche de medo não nos permitindo vivenciar aprender, crescer com todos nos nossos erros e acertos. 

Nossa mente fantasia, projeta facetas, levanta muros, nos impõe limites, cria dores de cabeça e dores na alma centenas de vezes. Mas ninguém está sozinho nesse jogo mental. 

O que cabe raciocinar é o por que a gente sempre pensa no pior? Por que a gente pensa no problema e não na solução? Por que temos medo do fracasso? E por conta desse medo sequer tentamos fazer qualquer mudança, nos acomodamos. Permanecemos em nossa zona de conforto apenas fantasiando, apenas imaginando. Por que tantas fantasias? Se é para fantasiar, tenhamos então verdadeiros devaneios acreditando no nosso sucesso, no bem estar, na saúde, numa vida feliz, na certeza de que estamos fazendo a coisa certa pois somos exatamente aquilo que pensamos. Mas não fiquemos apenas no pensamento, nos sonhos, mas que sigamos em frente com ações. 

Quando acordamos, imediatamente começamos a imaginar uma montoeira de coisas e a nos preocupar absurdamente com elas. Não estamos fazendo nada além de começarmos o dia aumentando o nosso stress e quem sabe, estragando o dia inteiro. Se começássemos a fazer uma coisa de cada vez, imaginando o sucesso, uma solução e não um problema, o dia terminará bem diferente.

Por que não agimos na segunda-feira da mesma forma que agimos numa sexta-feira? Se não fosse todo o trabalho da segunda até sexta-feira, nós nem poderíamos ter um final de semana !!! Agradeçamos mais, vivamos mais. Eu adoro cada segunda-feira, pois pra mim é sempre um reinício, um recomeço, novas oportunidades de acerto. Azar de quem pensa ao contrário. 

Quando alguém nos perturba é porque nós permitimos isso. Se nós não nos perturbamos com essa ou aquela pessoa, o problema passa a ser unicamente dela, a outra pessoa. Pensemos se de fato aquela pessoa que está nos perturbando não é unicamente porque ela não se encaixa em nossos “padrões”. A frustração, então, não decorre do nosso comportamento, mas de como nosso comportamento difere daquilo que estamos imaginando. Por não aceitarmos as coisas, as pessoas… como de fato elas são. 

Quando pensamos em fazer uma mudança saudável em nossas vidas (como ficar em forma), pode até parecer difícil, mas não é, é pura fantasia, pois em pouco tempo você se sentirá outra pessoa, bem melhor do que era antes. As pessoas olham meus posts pedalando 40, 60, 100 km e me perguntam como eu consigo? Simples! Um quilômetro de cada vez. Sem me preocupar quantos eu farei ou onde terei que chegar. Se cansar eu paro e volto pra casa. Não tenho obrigação com ninguém, a não ser comigo mesmo. 

Em nosso dia-a-dia estamos sempre imaginando mais problemas e menos soluções. Estamos mais preocupados com o que os outros pensam do que o que nós realmente somos e pensamos e, por conta disso, criamos barreiras e acabamos perdendo grandes oportunidades de sermos efetivamente felizes, em termos nossos momentos de pura alegria. 

A maioria de nós não vive o hoje. Ou estamos presos ao passado ou imaginando um futuro e simplesmente esquecemos de viver o presente. Não adianta fantasiar sobre sobre outros tempos e lugares. Por conta disso perdermos às surpresas agradáveis ​​e prazeres simples que nos rodeiam.

Façamos o que temos a fazer sem nos preocuparmos ou temendo o pior, lamentando sobre o que poderia acontecer, ou sobre o quão difícil é o nosso trabalho. Apenas comecemos a dar um passo de cada vez e fazendo o melhor que pudermos. 

Portanto, que o passado nos abra os presentes para o futuro, apenas isso. Aprendamos e até sejamos capazes de rir dos micos que pagamos. As oportunidades são muitas. Abramos nossas portas e janelas para a vida e tenhamos nossos momentos felizes pois a felicidade, mesmo que tardia, é o nosso destino. 

Jeff Severino - Florianópolis/SC

Viagens & TurismoJornalista/fotógrafo, diplomado pela Universidade do Sul de Santa Catarina - Unisul - Campus Pedra Branca - Diretor de Comunicação da Associação Catarinense de Colunistas Sociais, Relações Públicas da ABIME - Associação Brasileira de Mídia Eletrônica, Diretor de Comunicação da ABRAJET-SC, Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo, editor de um portal e de um blog, além de membro da FEBRACOS - Federação Brasileira de Colunistas Sociais e FENAJ - Federação Nacional de Jornalistas. Sou colaborador/colunista de diversas revistas e jornais de circulação nacional, começando pela Revista Evidência Cosmopolita em Maceió à Revista OQ em Joinville - SC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *