9 de maio de 2020

Aconteça o que acontecer, continue respirando

Mergulhando, em determinado momento a visibilidade fica baixa, esse é futuro

Estou passando por um momento de transformação… Para isso, preciso contextualizar um pouco: sou um professor, de corpo e alma. Ensinar pra mim é uma missão, tocar o coração dos meus alunos me faz encontrar com o que há de melhor dentro de mim mas, alguns anos atrás não estava consciente disso. Num determinado momento da vida, estava triste, desempregado e uma porta se abriu para mim na área de vendas. Foi então que achei outra coisa que me trazia felicidade, principalmente pelo fato de ter um maior retorno financeiro.

Segui por anos exercendo as duas profissões, onde em uma realizava minha missão pessoal e, na outra, a remuneração era a principal motivação. Estava tranquilo, pois o meu material trabalho estava presente nos dois lados: gente.

Realizar um trabalho onde eu não tenha contato com pessoas novas e diferentes, com certeza não é pra mim. Estar num escritório atolado em papéis me faria um homem menos feliz, com absoluta certeza. Iria de encontro com aquilo que me faz ter tesão pela vida. Segui estudando, fazendo formações para cada vez mais entender e lidar melhor com o ser humano. Foi aí que cheguei num ponto que os mergulhadores chamam de Profundidade Máxima Recreacional. Esse é o ponto em que o mergulhador avalia a profundidade para saber se está seguro prosseguir descendo ou é mais prudente emergir.

Cheguei num momento que teria que abrir mão de algo para prosseguir e nessa hora eu travei, o medo me fez não escolher e essa é a pior opção, pois passei a estar numa posição desfavorável: dividido. Entre buscar o lado financeiro ou a realização pessoal e, com isso, não avancei nem de um lado ou de outro.

Mergulhando, em determinado momento a visibilidade fica baixa, esse é futuro. Ficar parado é passado, é o momento em que penso em todas vezes me dei mal e isso só vai me fazer gastar o oxigênio, que é o presente, e em algum momento ele vai acabar.

Com as responsabilidades que tenho, não posso esperar, tenho que escolher ou morrerei afogado. E, como adulto que sou, já sei o que é melhor pra mim.

Luis Antônio Santos

Conexão, Conhecimento e Ação Luis Antônio Santos é Educador, Terapeuta Holístico, Consultor Sistêmico e Palestrante. Professor de Edcuação Física, Practiticioner em Programação Neurolinguística(PNL), Constelador Estrutural, Pós Graduando em Psicomotricidade, Pós Graduando em Neuropsicopedagogia e Diretor de Ação Social da ABRATH - Associação Brasileira de Terapeutas Holísticos em Alagoas. Escreve artigos em jornal, sites, faz comentários em rádio mas sua maior paixão é exercer a função de Pai do João Carlos. Instagram: @terapeutaluisantonio Twitter: THLuisAntonio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *