1 de março de 2021

Fisioterapeuta fala da importância dos cuidados com a coluna e faz alertas

Ana Silva concede entrevista exclusiva

Fisioterapeuta fala da importância dos cuidados com a coluna e faz alertas

Fisioterapeuta fala da importância dos cuidados com a coluna e faz alertas

Foto: divulgação

  Dra. Ana Luísa Oliveira Dias da Silva é Fisioterapeuta pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto em Portugal, com formação Pilates Clínico Matwork level 1, 2, Saúde na Mulher e Class Instructor, Porto – Portugal, Formação Terapia Manual – Conceito de P.O.L.D. na Coluna, Tórax e Extremidades, Terapia Manual – Manipulação Vertebral, formação Vacuoterapia Coluna e Extremidades – e atualmente, é Fisioterapeuta, Técnica Responsável na Clínica Ana Silva, Paredes-Porto em Portugal.

    Com a pandemia da Covid-19 muitas pessoas foram afetadas por problemas na coluna e ou que possuem dúvidas. Foi pensando nisso que eu convidei a, Fisioterapeuta portuguesa, Dra. Ana Silva para esclarecer alguns dos principais problemas ligados à coluna, a importância das atividades físicas e sobre o pilates. Para obterem mais informações acessem as páginas: “Clinica Ana Silva”. Instagram e Facebook

Da Coluna

   A Fisioterapeuta ressaltou, no início da entrevista, “que as patologias da coluna vertebral constituem a nível mundial, um importante problema de saúde pública, econômica e social. De forma decrescente, podemos destacar os seguintes problemas da coluna; lombalgia, artroses, hérnia do disco, osteoporose e escoliose, explicou”.

Dos cuidados

   Segundo Ana Silva, “primordialmente, deve-se proporcionar um movimento saudável ao corpo, pois funcionamos como um todo. Mas como fazê-lo? Em todas as nossas faixas etárias, há uma necessidade de criarmos hábitos, e por que não, exercício físico moderado e adaptado a cada pessoa? Ao promovermos um movimento fluído e com qualidade, ou seja, no tempo, intensidade e coordenação certa, facilitamos a nutrição dos vários tecidos do corpo, tanto a nível articular, muscular, facial e pele, que permite diminuir substancialmente a rigidez, dor e compensações”, esclareceu.

   Ela acrescentou ainda que, “é importante a prática de caminhadas, pilates clínico, dança do tipo salsa e merengue e escalada, pelo motivo de serem exercícios de baixo impacto, mas com carga e grande mobilidade de todo o corpo, principalmente da coluna e pélvis”, afirmou.

   De acordo com Ana Silva, “é também fundamental, dormir bem, pois é durante o período de sono mais profundo, que todos os nossos órgãos e tecidos regeneram. Na coluna, os discos intervertebrais hidratam-se, por este motivo acordamos mais alto um a dois centímetros, o contrário ocorre ao final do dia, ou seja, regredimos devido às forças de compressão que atuam no nosso corpo” esclareceu a especialista.

Fisioterapeuta fala da importância dos cuidados com a coluna e faz alertas

  “Por outro lado, a alimentação saudável e suplementos ajudam a repor todos os sais minerais que vamos perdendo, com as tarefas diárias”.

    Ana Silva ressaltou que, “por último, mas não menos importante, é usar estratégias para uso laboral, por exemplo, seja sentado, de pé ou transportar produtos/mercadoria de um lado/lugar para o outro. Estas estratégias evitam lesões desde leves a graves, principalmente da coluna e pélvis, reduzindo custos económicos pessoais, empresariais e para o país” afirmou.

Das lesões

  Conforme a Fisioterapeuta, “vários estudos indicam que os problemas da coluna vertebral têm aumentado no mundo civilizado em decorrência de vários fatores, principalmente nas mudanças comportamentais como por exemplo; o sedentarismo e maus hábitos posturais”.

 Ela acrescentou que, “existem outros fatores, como a genética, traumas, problemas degenerativos, osteoporose, movimentos repetidos e/ou mantidos e sobrecarga, estes últimos, com maior prevalência no mundo profissional. Este facto contribui para o aumento do absentismo laboral, diminuição da produtividade e da qualidade de vida na população mais ativa,” finalizou.

Da Prevenção

   Na avaliação da Fisioterapeuta, “como referido anteriormente, a realização de atividade física diária é fundamental para o nosso equilíbrio físico, principalmente da coluna vertebral”, afirmou Ana Silva.

   Ela enfatizou ainda que, “os exercícios devem ter em consideração a mobilidade da própria coluna e exercícios de resistência, principalmente para os músculos estabilizadores da mesma. Evitar cargas excessivas, caso seja necessário pegar em objetos/mercadoria pesada, se possível fletir os joelhos, colocar a coluna direita e não curvada e juntar a carga o máximo possível ao corpo. Outra estratégia será rodar todo o corpo quando tiver carga nos braços, em vez de rodar só o tronco” concluiu.

Fisioterapeuta fala da importância dos cuidados com a coluna e faz alertas

Problemas de coluna e diagnóstico

   Para a Fisioterapeuta, “os principais problemas da coluna vertebral dependem das várias faixas etárias. As escolioses, hipercifoses e hiperlordoses, consideradas como deformações/aumento das curvaturas e/ou retificação da coluna, apresentam-se com maior frequência nas crianças e adolescentes,” afirmou.

  Ela ressaltou que, “relativamente aos problemas degenerativos, como a osteofitose, artroses das articulações e desgaste dos discos intervertebrais, são os mais frequentes numa fase adulta. Contudo, existem outros problemas, como a estenose cervical e lombar, espondilolistese, espondilólise e espondilite anquilosante, sendo uma das maiores causas de comprometimento da qualidade de vida e incapacidade funcional”, destacou a Fisioterapeuta.

   Ana Silva, afirmou que, “no que concerne ao diagnóstico, existem três tipos, o diagnóstico fisioterapêutico, médico e por exames complementares. Seja qual for o profissional de saúde, é de extrema importância realizar uma correta história clínica e avaliação – anamnese e testes físicos, para determinar um diagnóstico diferencial, prognóstico e tratamento”, concluiu.

Hérnias de disco e como tratá-las

   Ana Silva frisou que, “antes de se falar de uma hérnia, devemos descodificar esta palavra e como é constituído o disco intervertebral”, afirmou.

  “De uma forma simples, o disco intervertebral é composto por duas partes, a parte interna, o núcleo pulposo e a parte mais externa, que se designa por anel fibroso. Uma hérnia é uma saliência, que neste caso, devido a um processo contínuo de desidratação de água e proteoglicanos do disco pulposo, provoca a migração do mesmo para além dos limites normais/fisiológicos do anel fibroso, principalmente em situações de maior pressão discal como a rotação e flexão da coluna vertebral, sendo que as causas das hérnias são multifatoriais”, explicou a especialista.

  Segundo a Fisioterapeuta, “a hérnia uma vez instalada não se consegue curar a lesão estrutural do disco. Contudo, existem vários tratamentos conservadores, como a fisioterapia que, através de terapia manual, alongamentos e exercícios terapêuticos ou outras terapias não-convencionais, aumentam significativamente a qualidade de vida dos pacientes, quando procuram ajuda profissional numa fase inicial e intermédia da patologia, ou seja, numa fase de abaulamento e protrusão discal”.

   Ela acrescenta ainda que, “o tratamento farmacológico e os suplementos naturais podem ser um tratamento complementar. Numa fase avançada, quando há extrusão de uma hérnia, a cirurgia poderá ser o tratamento indicado”, concluiu.

Dos problemas degenerativos e o tratamento

   Ana Silva destacou que, “os problemas degenerativos da coluna vertebral são um conjunto de patologias diretamente relacionadas com o seu processo degenerativo/desgaste da mesma. Como referido anteriormente, estas são constituídos por hérnias discais, osteófitos, artroses/espondilose das articulações da coluna, estenose do canal vertebral cervical e lombar – diminuição do diâmetro do canal vertebral que pode comprometer a medula e/ou raízes nervosas”.

   Ela acrescentou que, “como tratamento, uma vez mais, deve-se priorizar o tratamento fisioterapêutico, bem como o pilates clínico. Estes tratamentos têm como objetivo a diminuição da dor e rigidez, o aumento da mobilidade articular e muscular e acima de tudo o aumento da qualidade de vida. Um aspecto também, não menos importante, a diminuição de custos a nível pessoal e a nível da economia do sistema de saúde de cada país”.

Do pilates

   De acordo com a Fisioterapeuta, “o pilates clínico consiste num conjunto de exercícios adaptados para a reabilitação física, sendo divididos em vários graus de dificuldade, tendo como princípio chave o alinhamento corporal, respiração diafragmática e ativação do “centro”. Ou seja, promove a estabilização do tronco, através da ativação da musculatura profunda, sendo de extrema importância para evitar lesões e patologias degenerativas da coluna”.

  Ela explica que, “o Pilates clínico é orientado por fisioterapeutas e apresenta objetivos específicos de tratamentos baseados na evidência atual e reconhecida internacionalmente. Este envolve precisão, controlo e fluidez de movimentos corporais bem como respiratórios e concentração. Tem como objetivo permitir um equilíbrio entre a performance e o esforço através da integração do movimento a partir de um “centro”/coluna ativa estável”, concluiu.

   A especialista destacou que, “a partir de qualquer idade, desde que tenha compreensão para realizar o que é pedido. É de salientar que o conhecimento verbal e físico é adaptado a cada faixa etária e a problemas patológicos de cada um. Por exemplo, tenho uma paciente adolescente com autismo que, a ajuda no comportamento físico como na sua personalidade. Tenho notado também, na modelação comportamental de alguns adolescentes, pois o pilates clínico atua como um todo”.

Dos cuidados nas atividades físicas

  Ana Silva enfatizou, contudo, “que ajustar a atividade física ao seu problema patológico, postural e fases da saúde da mulher. É aconselhável fazer um bom aquecimento, pelo menos dez minutos, para evitar lesões. Nos alongamentos, estes podem ser feitos de várias formas e ao longo do dia, não sendo necessários, após o exercício”.

   Ela acrescentou ainda que, “não se deve exceder nos alongamentos, porque além de fazer tensão no músculo, essa mesma força transmite-se também à parte ligamentar, podendo torná-los mais laxos, diminuindo assim a sua capacidade de estabilizar as articulações”, concluiu.

Considerações finais

“Apostar sempre na prevenção, promoção, reeducação e facilitação para uma vida ativa e saudável. Estes conceitos, uma vez adquiridos contribuem, significativamente, para um bem estar global, a nível pessoal, profissional e para a economia de cada um de nós e do seu próprio país”. Dra. Ana Silva.

Instagram: @joaocostaooficial 

Não deixe de ler: A Sala

João Costa

Jornalista (MTB 87452/SP), Articulista do Instituto Palavra Aberta, integrante do Observatório da Comunicação Institucional (O.C.I), Membro da API (Associação Paulista de Imprensa), Prêmio Ibero – Americano de Jornalismo de 2019/20, Prêmio Direitos Humanos por reportagem feita para o Instituto Dana Salomão e Menção honrosa do Lions Clube Rio do janeiro. Colunista, Blogueiro e Comunicador. Desenvolve há anos um trabalho com o propósito humanitário por meio do que cunha chamar de: "Filosofia da Evolução das Relações Humanas”. Redator responsável e Colunista do Portal FaceTV Brasil; Colunista do Portal da Bahia Jack Comunica, Colunista do jornal “Em Destaque”, do Estado do Rio de janeiro e Colunista do Diário de notícias Vila Nova em Braga - Portugal. Foi colunista da "Rede de Escritores de Língua Espanhola". Possui sólidos conhecimentos na edição de textos, é ativista pelos direitos humanos, pela proteção dos animais e no combate a desigualdade social. Participação ativa em Workshops, congressos e conferências.

2 Comentários em “Fisioterapeuta fala da importância dos cuidados com a coluna e faz alertas

Marcio Rogerio Renzo
1 de março de 2021 em 10:29

Excelente reportagem meu amigo João.. A Ana é uma excelente profissional e muito capacitada.. Parabéns aos dois!!!

Responder
João Costa
1 de março de 2021 em 14:43

Gratidão prezado, amigo, Marcio Renzo!!! A Ana Silva é uma profissional brilhante!

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *