05 / 03 / 21

Março Lilás: campanha conscientiza sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer do colo do útero

Doença é o quarto tipo de câncer mais comum entre as mulheres, mas tem cura em 95% dos casos

DivulgaçãoMarço Lilás: campanha conscientiza sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer do colo do útero

Dra. Cláudia Pinto

Março Lilás: campanha conscientiza sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer do colo do útero

Apesar de ser prevenível, o câncer do colo do útero permanece sendo uma doença perigosa. A campanha Março Lilás foi criada com o objetivo de alertar a população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do quarto tipo de tumor mais comum entre as mulheres, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O câncer do colo do útero, também chamado de câncer cervical, pode ter cura em até 95% dos casos. Segundo a ginecologista e obstetra do Hapvida Maceió, Dra. Cláudia Pinto, esse tipo de neoplasia é caracterizada pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano, o HPV, que é frequente em muitas mulheres.

“Na maioria das vezes, o HPV não causa câncer. No entanto, pode evoluir para tumores malignos quando ocorrem alterações celulares no organismo”, explica. Quando não tratada, a doença pode afetar outros órgãos e até levar à morte.

SINTOMAS INCLUEM DOR NA RELAÇÃO SEXUAL, SANGRAMENTO E CORRIMENTO VAGINAL

A ginecologista explica que o câncer do colo do útero pode apresentar vários sintomas, mas os mais comuns são dor durante ou após a relação sexual, sangramento vaginal anormal e corrimento com odor.

“As alterações podem ser descobertas durante o exame preventivo, conhecido como papanicolau. O médico também pode solicitar a colposcopia, que permite a visualização do colo do útero com mais precisão, além de biópsia”, informa Dra. Cláudia.

A médica do Hapvida Maceió destaca que a doença é rara em mulheres de até 30 anos e geralmente acomete pessoas de faixa etária entre 45 a 50 anos.

PREVENÇÃO
Dra. Cláudia reforça a importância de consultar o ginecologista regularmente. “Essa é a melhor forma de prevenção”, sentencia. A periodicidade para a visita ao médico visando a realização dos exames preventivos pode variar entre 6 a 12 meses, dependendo da idade e de fatores de risco do paciente.

Outra forma de evitar a doença é a vacina do HPV, especialmente se for aplicada antes do início da vida sexual. “O câncer do colo do útero tem cura e se preocupar com a sua prevenção é o primeiro passo para uma vida plena e saudável”, diz a ginecologista.

Março Lilás: campanha conscientiza sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer do colo do útero
fonte: Isa Mendonça – Especialista em Assessoria de Comunicação e Marketing

Gigi Accioly

Holofote @gigiaccioly - Jornalista (MTB 1468AL), colunista social do Jornal Primeira Edição (impresso/online), editora-chefe e colunista da Revista Evidência Cosmopolita (AL), Colunista da revista evidencia.com (EVDCIA on line); ex-apresentadora de TV, "Programa Gente em Evidência" exibido pela TV EVDCIA, TV Alagoas (SBT) e TV Mar; publicitária. Membro da ALANE/AL - Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro (Núcleo Alagoas); Comendadora (Comenda Professor Doutor Sebastião Palmeira (instituída pela Academia Maceioense de Letras). Diretora de planejamento da Tehron - Núcleo de Comunicação; assessora de imprensa e marketing, cerimonialista e mestre de cerimônias. Diretora de comunicação social da Soamar/AL. - Sociedade Amigos da Marinha de Alagoas; Diretora Regional em Alagoas da MBA - Mídia Brasil Associados; associada à FEBRACOS – Federação Brasileira de Colunistas Sociais. Colunista do extinto portal Ciro Batelli – Unique Style (SP e Las Vegas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *