9 de março de 2021

Museu Coleção Karandash promove interação entre alunos e obras de arte popular

"Mediação do Conceito Arte Popular em Plataforma Digital para alunos da Rede Pública de Ensino"

Foto: Juarez CavalcanteMuseu Coleção Karandash promove interação entre alunos e obras de arte popular

Museu Coleção Karandash

Desde que o homem, e a mulher, claro, se entenderam como seres humanos dotados de inteligência, razão, sensibilidade e dons artísticos, muito antes da própria compreensão do que é arte, registram a vida e o cotidiano desenhando na pedra, nas paredes das cavernas que habitavam. Pessoas, animais, costumes, atividades… A história da humanidade tem profunda e estreita ligação entre pessoas e arte.

Com a evolução humana, a inquietude e sua natural curiosidade, saímos em busca de conhecimentos, e qualificação, inclusive na arte. Experiências, descobertas e técnicas formaram artistas cujos trabalhos são valorizadíssimos. A eterna preocupação em retratar beleza e harmonia marcam a história da arte acadêmica. Grandes artistas escreveram seus nomes na eternidade por suas incríveis pinturas, esculturas…

Em paralelo, pessoas simples, sem nenhuma vida acadêmica, também registram suas emoções, observações, folclore, lendas, crenças… marcam a sociedade com suas linguagens artísticas, com simplicidade, leveza, felicidade, alegria de viver e beleza.

Mantendo suas próprias, pessoais e intransferíveis expressões artísticas, se firmando cada vez mais no cotidiano e no consumo de arte, esses artistas vêm se consolidando inclusive no mercado, com seu devido valor.

Este reconhecimento e valorização vem sendo ampliado com editais que apoiam e estimulam a produção e os saberes culturais do povo. Como a recente Lei Emergencial da Cultura Aldir Blanc 2020/Edital Mestra Hilda, disponibilizado pela Prefeitura de Maceió através de sua Fundação de Ação Cultural, que contemplou o projeto ”Mediação do Conceito Arte Popular em Plataforma Digital para alunos da Rede Pública de Ensino”, numa proposição do Museu Coleção Karandash de Arte Popular e Contemporânea, que tem coordenação e gestão de Maria Amélia Vieira e Dalton Costa.

Respeitada e reconhecida como uma das mais importantes coleções de arte popular do Brasil, o Museu Karandash compartilha, além de suas obras, inúmeros e importantes “conceitos e aprendizados para as crianças e adolescentes sobre arte, oferecendo material em suas plataformas digitais para auxiliar o desenvolvimento das atividades com os docentes”. É a meta do projeto.

No planejamento, serão seis “Momentos com a turma”, incluindo atividades, debates, apresentações, cujos resultados formam o trabalho final, com montagem, exposição e apreciação. Entre os incalculáveis e ricos produtos deste projeto, o principal é o Plano de aula para Professores.

Com a pandemia, a proposta é promover interação entre os alunos e quatro obras de arte popular disponíveis em espaços públicos, como as esculturas (de seis metros de altura), contemplando toda a orla urbana de Maceió, elas que fazem parte da coleção do Museu Karandash.

Felipe CameloMuseu Coleção Karandash promove interação entre alunos e obras de arte popular

“A Sereia”, de Mestre Zezinho

Na Lagoa da Anta, na Jatiúca, “O Beijo”, de Mestra Irinéia e Seu Antônio; “A Sereia”, de Mestre Zezinho, na orla da Pajuçara; “O Boi”, do Mestre João das Alagoas, na orla de Jaraguá; e “Leão”, de Mestre André da Marinheira, que valoriza a orla do Pontal da Barra.

Fotos: Felipe Camelo
Click nas imagens para visualizá-las em tamanho maior

A verdadeira imersão virtual na impressionante coleção de arte popular reunida por Maria Amélia e Dalton, contribui para que professores, alunos e o público em geral, “construam conhecimento de arte a partir de algo que exista na cidade, já que, no plano de aulas, visitas aos locais onde estas quatro esculturas estão inseridas”. Serão pequenos grupos, respeitando todas as orientações contra a pandemia, além de viagem virtual por todo o acervo Karandash “que vem de longe e parece não ter fim”. Esculturas, pinturas, desenhos, banco de imagens, pequenos documentários, enfim, uma documentação material e imaterial de um segmento importante da arte brasileira. Visitar a Galeria Karandash é perceber um diálogo profundo entre as obras e seus criadores com a coleção. Vale conferir”, confessam e convidam Maria Amélia e Dalton.

Quer saber mais?
( @galeriakarandash ) no Instagram
( Galeria Karandash ) no Facebook
karandash.com.br

Museu Coleção Karandash promove interação entre alunos e obras de arte popular
fonte: Felipe Camelo – Jornalista

(Assessoria de Imprensa)

Gigi Accioly

Holofote @gigiaccioly - Jornalista (MTB 1468AL), colunista social do Jornal Primeira Edição (impresso/online), editora-chefe e colunista da Revista Evidência Cosmopolita (AL), Colunista da revista evidencia.com (EVDCIA on line); ex-apresentadora de TV, "Programa Gente em Evidência" exibido pela TV EVDCIA, TV Alagoas (SBT) e TV Mar; publicitária. Membro da ALANE/AL - Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro (Núcleo Alagoas); Comendadora (Comenda Professor Doutor Sebastião Palmeira (instituída pela Academia Maceioense de Letras). Diretora de planejamento da Tehron - Núcleo de Comunicação; assessora de imprensa e marketing, cerimonialista e mestre de cerimônias. Diretora de comunicação social da Soamar/AL. - Sociedade Amigos da Marinha de Alagoas; Diretora Regional em Alagoas da MBA - Mídia Brasil Associados; associada à FEBRACOS – Federação Brasileira de Colunistas Sociais. Colunista do extinto portal Ciro Batelli – Unique Style (SP e Las Vegas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *