02 / 03 / 22

ONG acolhe refugiados e transforma a vida de pessoas carentes só com voluntários

Voluntariado

Imagem - divulgação

Imagem – divulgação

Canal Angelini mostra o trabalho da APRISCO

 

           O Canal Angelini gravou esse programa com a ONG APRISCO duas semanas antes da Guerra entre a Rússia e Ucrânia. Estamos vendo o êxodo dos ucranianos, dos estrangeiros que moravam lá e a solidariedade global, em especial de entidades e do povo polonês, romeno e mondávio. Cidades e países já se mobilizam para receber os refugiados de guerra. A ONU estimou que mais de 500 mil pessoas saíram nos primeiros 4 dias do conflito.

           O exemplo da APRISCO mostra como acolher refugiados. Seguimos solidários.

Como uma ONG consegue atender centenas de pessoas, cuidar de refugiados, doar remédios, cuidas da educação de crianças carentes só com a participação de voluntários, sem colocar dinheiro?

           O Canal Angelini começa março mostrando o trabalho singular da ONG APRISCO, que consegue mobilizar centenas de pessoas voluntárias, empresas e entidades religiosas para fazer ações de impacto que realmente melhora a vida de famílias carentes.

Edson Carvalho, presidente da ONG APRISCO – Associação de Presbiterianos para Inclusão Social Comunitária – explica que não tem relação com o governo. A entidade é mantida por pessoas físicas voluntárias que querem ajudar pessoas que não tiveram a mesma condição.

“Tudo que fazemos na APRISCO é com material reciclado, com pessoas de várias expertises de forma voluntária, apesar de organizada pelos presbiterianos para passar valores às crianças, mas as demandas sociais das famílias eram grandes – de dentistas à médicos. Hoje atendemos 39 mil pessoas por ano pelo Projeto SERVIR, em especial no norte e nordeste do país. Dia 25 de fevereiro saiu uma equipe de São Paulo para a Ilha de Marajó. Na região metropolitana, atendemos comunidades carentes. Enviamos mais de 22 toneladas de medicação para norte/nordeste, África, Camboja e América Central. Tudo é doação e voluntariado. Ninguém gasta 1 centavo”, explica Edson Carvalho.

Em relação ao acolhimento de refugiados, a APRISCO recebeu uma família de iraquianos, que fugiu da perseguição religiosa, para inserir na sociedade, ensinar o idioma, arranjar trabalho. “Já tivemos o ciclo dos sírios, agora são os afegãos e iraquianos. Nosso foco é acolher e ajudar a dar essas pessoas esperança de recomeçar a vida”, explica Edson.

O programa “O voluntariado que faz a diferença “estreia dia 3 de março no Canal Angelini pelo Youtube e Spotify.

João Costa

Jornalista, articulista e Influencer do Instituto Palavra Aberta, Assessor Especial de Imprensa e articulista do Observatório da Comunicação Institucional (O.C.I) e Membro da API (Associação Paulista de Imprensa). Prêmio Ibero – Americano de Jornalismo de 2019/20, Referência em Comunicação pela Agência Nacional de Cultura, Empreendedorismo e Comunicação – ANCEC, reconhecimento por Direitos Humanos e Menção honrosa do Lions Clube Internacional - Rio do janeiro. Colunista, Blogueiro e Comunicador. Colunista de diversos veículos em todo o Brasil. Foi colunista da "Rede de Escritores de Língua Castelhana", e do Diário de notícias: Vila Nova Familicao em Braga - Portugal. Possuí sólidos conhecimentos na produção, revisão e edição de textos, ativista dos direitos humanos, estudioso sobre afrodescendência, e combativo à desigualdade social. Participação em eventos da embaixada do Gabão no Brasil, tendo inclusive sido intérprete de discurso a convite do Embaixador do Gabão no Brasil, em jantar beneficente, com a presença do Vice-presidente da república federativa do Brasil. Participação em workshops, webinars, congressos e conferências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *