15 de setembro de 2020

Presidente da ABIH/MG aposta na recuperação gradativa do setor

Presidente da ABIH/MG diz em entrevista que aposta na recuperação gradativa do setor

Maurício VieiraPresidente da ABIH/MG aposta na recuperação gradativa do setor

Maurício Vieira

Presidente da ABIH/MG aposta na recuperação gradativa do setor

   Guilherme Sanson tem formação em Administração Hoteleira pela Universidade Santo Amaro (Unisa), é o atual Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais (ABIH/MG), e atua no segmento de hoteleiro há mais de 20 anos, tendo passado por importantes hotéis no País – entre estes o Maksoud Plaza (São Paulo) e a Hotelaria Accor Brasil ( em São Paulo, Vitória e Belo Horizonte).

  Diante dos dilemas e desafios provocados pela pandemia da Covid-19, que atingiu em cheio o segmento de turismo, o presidente da ABIH/MG fala em entrevista exclusiva sobre os desafios que o segmento tem enfrentado, qual a situação real dos hotéis e o que tem sido feito para reverter este quadro – entre outros temas.

Hotéis e empregos no segmento em Belo Horizonte

  Entre os diversos temas que abordou durante a entrevista, Guilherme Sanson ressaltou que a situação que o setor hoteleiro enfrenta em Belo Horizonte ainda é muito complicada. Ele estima que entre 20 a 25% dos hotéis que compõem a rede hoteleira na capital mineira estão com as suas atividades suspensas ou fecharam as portas – o que também afetou o volume de negócios do setor: “ainda não temos dados precisos sobre isto porque não temos informações atualizadas sobre a realidade de fluxo de caixa no setor.

  Em relação aos hotéis que estão em funcionamento, Sanson informou que estes (estabelecimentos) estão operando com uma taxa de ocupação que varia entre 15 e 20%, “alguns com mais, outros com menos, mesmo, porque a questão não é o preço, mas a demanda”, explicou o presidente da ABIH/MG”.

 Na avaliação de Sanson, o segmento hoteleiro na Grande Belo Horizonte registra números preocupantes: a estimativa é que entre cinco e seis mil trabalhadores perderam os seus empregos – sendo que em todo o Estado este montante chega a 20 mil.

Presidente da ABIH/MG aposta na recuperação gradativa do setor

Dos desafios 

 Sanson afirma que um dos maiores desafios do setor será se manter em atividade, ou seja, funcionando, ter fluxo de caixa, honrar os compromissos pré- estabelecidos, incluindo os direitos trabalhistas dos funcionários que foram demitidos.

  Em relação à adaptação aos protocolos de segurança, Sanson destacou que muito embora sempre houvesse uma preocupação do setor hoteleiro em manter a máxima higienização, em consonãncia com a legislação, as exigências redobraram exigindo um processo mais acurado para a conscientização de colaboradores: estes funcionários, hoje, estão tendo que ser polivalentes no trabalho, acumulando uma série de atividades.

Governo municipal e estadual

 Sanson enfatizou que como líder do setor hoteleiro tem participado de um grande número de reuniões com o governo estadual e municipal, incluindo secretarias afins e a câmara dos vereadores, com o objetivo de obter um prazo mais dilatado para o pagamento do IPTU, por exemplo, entre outros impostos.

  O presidente da ABIH/MG salientou que em nível estadual tem dado a ideia e solicitado que seja feito algo com relação a nota fiscal eletrônica na qual o contribuinte, por meio de seu CPF, possa dispor do saldo residual para uso como crédito com a anuência do governo como forma de abatimento no seu IPTU e IPVA.

  Sanson disse que esta ideia tem o intuito de fazer com que o contribuinte consiga também utilizar estes créditos no segmento hoteleiro especificamente e no turismo de um modo geral, na compra de um passeio, pacote turístico com alguma agência receptiva, entrada em parques estaduais que estão reabrindo de modo que o setor possa angariar um incremento em termos de receita, o que será muito importante para o fluxo de caixa.

   Sanson enfatizou que tanto o turismo de negócios, quanto o turismo de lazer, ainda enfrentam dificuldades em Minas Gerais: a demanda gerada pelo segmento de lazer registra uma redução em torno de 70 a 80% em relação ao movimento que existia antes da pandemia da Covid-19.

    O presidente da ABIH/MG adianta que a entidade já informou o governo que cerca de 25 a 30% dos empreendimentos hoteleiros de Minas Gerais – como sede no Estado e na cidade de Belo Horizonte, poderão ter suas atividades interrompidas por falência – caso não recebam estímulos concretos do poder público. Sanson teme que a não retomada da atividade econômica reflita diretamente no universo hoteleiro e impacte negativamente em toda a sua cadeia produtiva. “Onde não existe produção, geração de empregos e recolhimento de impostos, não temos riqueza”- sublinha.

Dos protocolos de segurança 

  Em relação aos protocolos de segurança, Sanson afirma “que a tendência é que os hotéis não só estejam seguindo os protocolos de segurança que exige o uso de máscaras, álcool em gel e a higienização em seus empreendimentos, mas também que estejam treinando, motivando e capacitando as suas equipes para que obtenham níveis ideais de segurança nos ambientes de trabalho. O que é importante e fundamental para fidelizar o cliente, o hóspede”.

  A respeito do cumprimento dos protocolos de segurança, Sanson destacou que, a ABIH/MG fez uma aglutinação da norma técnica 31, do protocolo da vigilância sanitária, e da própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) disponibilizando para toda a hotelaria de Minas Gerais, seja associado ou não, da Associação Brasileira da Indústria da Hotéis, o acesso de forma didática a essas informações.

   Sanson frisa que também já prestou este tipo de serviço e está à disposição sem o objetivo de ganho com isso, pois os esforços da entidade estão voltados para o setor hoteleiro e de turismo, de modo que tenham capacidade de superar essa “situação tão delicada”.

  Para o presidente da ABIH/MG “quem não está seguindo os protocolos está arriscando os seus empreendimentos, seus hóspedes, seus clientes, funcionários, pois a inobservância do segmento aos protocolos leva o empreendimento a incorrer em infração grave, o que acarreta em multa e até o fechamento dos estabelecimentos”.

Presidente da ABIH/MG aposta na recuperação gradativa do setor

Perspectivas para o setor

  Sanson se diz otimista, está trabalhando muito nesse sentido e se coloca à disposição para toda a hotelaria. O presidente solicita para que as empresas e ou profissionais do setor, em caso de necessidade de orientação, acessem o site da ABIH: ABIH/MG ou entrem em contato pelos telefones: (31) 3261-2233 | (31)3261-2467  para que possamos atendê-los.

 Foto: Maurício Vieira

 Instagram: @joaocostaooficial

 Não deixe de ler:  TV Cultura celebra os 70 anos da TV no Brasil com série inédita

João Costa

Jornalista (MTB 87452/SP) Membro da API (Associação Paulista de Imprensa), Prêmio Ibero – Americano de Jornalismo de 2019/20, prêmio Direitos Humanos e Menção honrosa do Lions Clube Rio do janeiro. Colunista, Blogueiro e Comunicador. Desenvolve há anos um trabalho com o propósito humanitário por meio do que cunha chamar de: "Filosofia da Evolução das Relações Humanas”. Atualmente é Assessor do Observatório da Comunicação Institucional (O.C.I); Redator responsável e Colunista do Portal FaceTV Brasil; Colunista do Portal da Bahia Jack Comunica, Colunista do jornal “Em Destaque”, do Estado do Rio de janeiro, foi colunista do Portal NaMídia e da Revista Empresarial. Revista com circulação em Minas Gerais e Colunista da "Rede de Escritores de Língua Espanhola".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *